Meu barco ancora

Nesta ilha

Sem história

Vejo o que nela há

O tudo que se aflora

O repentino por do sol

Que a vida restaura

Reluz oceano afora

Enquanto cresce no peito

Uma certa saudade

Daquilo que não mais terei

Mas que me ensinou

Tudo que agora sei

Tudo o que o coração ensina

Está aqui por inteiro

Renasce a cada dia

E é puro como a criança

Deixa claro que viver

Pode ser tempestade ou bonança

Velas ao mar

De sonho e descanso

Do céu vem o silêncio

Que jamais alcanço

Mas uma paz imensa

Desce, me consola

E se torna meu remanso

Se questões acumulas em teu ser

Não te desesperes nem tente entender

A vida vai mostrar, o que tiver que ser, será

Angústia e ansiedade afastam a cura

Nada de raiva, esta temível clausura

Que só sufoca o coração

Siga o caminho em silêncio e com ternura

Atento apenas à doçura

Da vida, rumo à paz e nada mais

Frua o dia-a-dia

Na tranquilidade que acolhe

Que surpreende e faz sorrir

Meu barco ancora

Nesta ilha

Sem história

Vejo o que nela há

O tudo que se aflora

O repentino por do sol

Que a vida restaura

Reluz oceano afora

Enquanto cresce no peito

Uma certa saudade

Daquilo que não mais terei

Mas que me ensinou

Tudo que agora sei

Meu barco ancora

Nesta ilha

Sem história

Vejo o que nela há

O tudo que se aflora

O repentino por do sol

Que a vida restaura

Reluz oceano afora

Enquanto cresce no peito

Uma certa saudade

Daquilo que não mais terei

Mas que me ensinou

Tudo que agora sei