Conversa na calçada
Janela escancarada
Uma pausa no boteco
Piadas leves e apimentadas
Nas noites praianas
Camarões em petiscos
Em uma grande
Roda de amigos
Isto é que é bom
Assim as férias começam
E terminam
Como o pôr do sol no horizonte
Lume fraco a brilhar

Anúncios

 

Um encontro, velhas histórias
E tantas outras novas
Um toque, um sorriso, um olhar
Uma grande alegria exterior
Melodia suave para completar
Uma paisagem, click surpresa
Para registrar, nunca esquecer
E ao final, um abraço sincero
De amizade forte e eterna

 

Olhei sua vaidade
Com meiga ingenuidade
Busquei uma verdade
Pois sua estúpida maldade
Destruía minha felicidade
Mansamente, com carinho
Aproximei-me com simplicidade
Até unir a minha bondade
À sua crueldade
E, do jeito mais estranho
Expulsei para longe
Esse mundo absurdo de falsidade

 

 

Algumas horas ternas
Com você quero passar
Andar nessa praia deserta
E em águas quentes, até amar
Correr e, pela areia, rolar
O fogo do desejo
Mantém-nos grudados
E apesar de todo o calor
Somos amáveis ao nos tocar
Ao sentirmos apenas
A brisa do mar

 

Na estrada por que estou indo
A paisagem ao redor
São total encanto
Céu e mar
Unem-se no horizonte
Ao longe
As horas nem passam
E as árvores se cruzam em meu olhar
No firmamento, as nuvens
Com desenhos estranhos
Querem algo expressar
No fim dessa passagem
Um pôr do sol vou encontrar
Exatamente onde queria chegar

 

 

Hora de partir
Deixo os livros
Para voce organizar
As crianças ficam a desenhar
Não quero o celular
Saio para minhas ideias
Poder arrumar
Escreverei um poema novo
Ou mesmo uma historia
E me reinventar