Todo dia vejo o sol
Na minha janela brilhando
Parece até que ele me chama…
Posso ver o pasto
O beija-flor se alimentar
Na cozinha, meu bolo preferido
Com o café eu corro
Só para em meu cavalo montar
Subir, descer, pular
Buscando trilhas novas
E em uma cachoeira
Poder me banhar
Deitar nas pedra
Olhar o astro rei
E como um pássaro
Sentir-me pela mata a voar

 

 

 

Quero uma noite longa
Sem telefone a tocar
O mesmo oxigênio a respirar
Grandes surpresas de amor
Vamos realizar
Juntos, uma dança nova criar
Deixe os problemas lá fora
Aqui, teremos nosso próprio mundo
Somente o toque suave
Vai nos importar
Encanto, sedução…
Tudo isso é bom…
Para nossa paixão sem palavras
Mas com beijos, abraços
Todo nosso amor expressar

 

De volta ao lar
Recebo sorrisos
Que para trás deixei
E o toque da família
Pois ao mar viajei

Relembro sonhos dormentes
De anos que passaram
De objetos e formas
Que saudade deixaram

Saudade que levei comigo
Quando busquei o futuro
Que a idade só apressou
Tornando tudo mais escuro

Agora volto para visitar
O vento que vem soprar
Retornei para dar amor e alegria
Embora aqui não mais seja meu lugar

Mesmo assim, ao rever pessoas
Que são parte de minha vida
Enche-me um amor infinito
E sinto extraordinária alegria

 

Peixe frito
Macaxeira e água de coco
Sorvete de fruta
Café bem quente
Acompanhado de tapioca
Pode ser salgada ou doce
Não importa o desejo
Delicioso bolo fresco
Milho verde
Não falta mais nada
Para começar, uma boa conversa
Na rede ou na cadeira
Aqui é assim
Clima ardente
Nada a fazer
Férias no tempo perfeito
No Nordeste que há no coração
De toda a gente