Duas crianças no mundo
Como Deus quis e fez
Cruzando caminhos
Até nos céus, talvez
Sem ser por acaso
São unidas por sentimentos
Recíprocos, compreendem
A eternidade em um momento
Procuram entender
Direitos e defeitos
Vivendo sem egoísmo
E muito menos preconceitos
Sem desconfiança
Seguem, unidas apenas
Em um mesmo ideal
Já são grandes, mesmo pequenas
Vão brincando de amar
Até o dia
Em que não forem mais crianças
Quando o interesse pode se esvaziar
Mas hoje, não.
Sem maldade ou futilidades
Nem inutilidades
Procuram, precisam
Somente da felicidade
Em sua pequena porção de terra
Correm, pulam, brincam sem parar
E assim transformam uma ilha
No continente do amar

Anúncios